coração entre remédios
Crônicas,  Poesias

Fármaco

Escrevi uma poesia para participar do concurso literário da farmácia Pague Menos com o tema Viva plenamente. Esse foi o primeiro concurso com premiação em dinheiro que participei, e embora não tenha ganho (vai entender os jurados), acho muito bacana esse tipo de incentivo vindo de uma empresa privada a cultura.

Fora as 5 primeiras poesias que ganhavam o prêmio em dinheiro, mais 95 foram selecionadas, e nenhuma delas foi a minha. Talvez porque escrevi sobre como deveríamos nos livrar de medicamentos para uma vida realmente plena e saudável, e o concurso é de uma farmácia, hipocrisia, será?

Enfim, você pode conferir e ler o resultado do concurso aqui, e logo abaixo, ler minha poesia.

Vale dizer que escrevi em um momento da vida que estava tomando mais remédios do que o habitual e me questionando o quanto isso era “normal”. Antes mesmo da pandemia do Corona Vírus, comecei a sofrer de ansiedade no trabalho e como consequência gastrite nervosa. Tomava um anti-depressivo (o qual fui bastante resistente para aceitar), testei 2 prazois diferentes (aparentemente nenhum fez um efeito muito eficaz, o problema era emocional), e chegava a tomar duas doses de anti-ácidos diariamente. Isso me deixava muito angustiado, eu não queria tomar remédios para toda a vida.

Importante destacar que tudo foi feito sob supervisão médica! Não tome remédios desse tipo por conta própria.

Agora segue a poesia trazendo a reflexão interna daqueles dias.

Fármaco

Poema por Rodolfo Berlezi

Aí está você
Na prateleira
Empoeirado
Fico feliz, que houve o tempo de larga-lo

Quando olhava para você
E lembrava de tomar
Alegria doentia

Se esquecia me arrependia
Dá saúde não cuidar
Dor em demasia

Quando da vida um temporal
O fármaco não me fazia mau

Hoje
Desfrutar do natural,
É fenomenal
Ao menos não me sinto boçal

Se andar pela vida
Fora da carruagem diligente
Com os pés nus no barro
Fosse considerado inteligente

Os sorrisos bem contentes
Do pai e do filho
Tornariam a voltar

O fármaco recém-comprado
Perderia o seu lugar
Um coração bem saudável
Viria a manifestar

Um esporte praticável
Na respiração vive Buda
Estresse voa ao ar

Ansiedade é de se cuidar
Determinação para continuar
Ou só
Escolha mais tempo para amar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *